Porteiro: Características Essenciais e Funções

Os prédios se modernizaram, os equipamentos ganharam novos recursos e o perfil do porteiro também evoluiu. Aquela imagem de pessoa sentada atrás de uma mesa recebendo correspondências e visitantes na entrada do empreendimento quase não existem mais, virou raridade.

O mais comum agora é chegar em um condomínio e, de dentro de uma cabine fechada que praticamente não permite a visualização de fora para dentro, ser atendido por um profissional que enquanto entende qual o objetivo do visitante, tira foto, registra os dados no sistema, interfona para a unidade solicitada e observa a sua circulação até ao destino. Este é hoje o modelo mais tradicional.

Há ainda o caso de condomínios em que o processo acontece da mesma forma, mas o profissional que faz atendimento, segue todos os passos como descrito acima, mas de uma central de monitoramento remota, esses são os condomínios com portaria remota.

Mas, independente do tipo de portaria, o que faz a diferença para a preservação da tranquilidade e segurança dos condôminos, são os porteiros e, sobre estes profissionais continuaremos falando mais um pouco.

Quais são as funções do porteiro?

A principal responsabilidade do porteiro é controlar o acesso ao empreendimento. E esta é uma função essencial à segurança do condomínio e condôminos, tanto que muitos assaltos que acontecem são por falha em processos básicos como este. Entre os profissionais de portaria, por exemplo, há uma expressão que deve ser seguida à risca: não se identificou, não entra.

Embora a função do porteiro e sua atuação influencie na segurança, o papel do porteiro se resume ao controle de fluxo de pessoas nas entradas do condomínio, incluindo garagem, e correspondência. A preservação da segurança é atribuição do vigilante.  

É da responsabilidade do porteiro identificar visitantes, prestadores de serviço, e, apenas após a autorização do condômino, liberar a sua entrada.

O porteiro é o primeiro contato do visitante, portanto, é quem passa a primeira impressão do condomínio. Sendo assim, é importante que este profissional tenha como características ser atencioso, prestativo, discreto e ágil, além é claro de receber o treinamento adequado para atuar com respeito e cuidado à segurança em todas as situações identificando os sinais de perigo.

Embora, antigamente, fosse comum chamar o porteiro ou zelador para pequenos reparos em unidades, isso não deve acontecer. O correto é que o profissional permaneça dentro da guarita em todo o período de trabalho, sua ausência mesmo que por alguns minutinhos, compromete o bom funcionamento do condomínio e também a segurança.

Por este motivo as guaritas precisam ser bem equipadas para atender as necessidades imediatas do profissional e para o exercício da sua função.

Sendo assim, o ideal é que a guarita tenha banheiros internos e estrutura para café e água, além de todo o equipamento para o bom funcionamento e segurança – blindagem, interfone, telefone, monitores para gestão do fluxo, computador para registro dos visitantes e acesso aos dados dos condôminos necessários (por exemplo, placa de carro, nome dos moradores da unidade), etc.

Vale ressaltar que, geralmente, em caso de assaltos, a primeira providência dos bandidos é render os porteiros, motivo pelo qual a portaria deve ser blindada e, preferencialmente, com sistema de fechamento externo.  

Diferenças entre porteiro residencial e corporativo

Existem algumas diferenças na atuação do porteiro de empreendimentos residenciais e os corporativos.

No caso das residências, suas atribuições dizem respeito à identificação e liberação de pessoas e veículos e recebimento e encaminhamento de correspondências.

Já no âmbito corporativo, suas funções vão além disso. No caso das indústrias, por exemplo, ele deve, além de realizar as ações acima, também fazer o controle de carga e descarga, controle de notas fiscais e de movimento do pessoal contratado.

Porteiros Próprios ou Terceirizados

Há muitos condomínios que possuem profissionais contratados de forma direta. Geralmente, são contratados quatro profissionais por guarita, e os profissionais trabalham com jornada de 12/36 horas.  Mas, atualmente, a maioria dos edifícios atua com sistema de terceirização.

A terceirização traz uma série de benefícios para o condomínio, uma vez que além de não ter que se preocupar com verba rescisórias e reduzir significativamente o risco de processos trabalhistas, as empresas que terceirizam este profissional geralmente oferecem treinamento periódico e tem disponibilidade para envio de profissionais substitutos em caso  de falta ou afastamento.

Essas garantias são vantajosas para o condomínio uma vez que contribuem para o funcionamento adequado dos serviços e à longo prazo significa redução de custo.

Quer conhecer de perto as vantagens da terceirização dos serviços de portaria? Entre em contato conosco: (11) 3502-7200.