Segurança Eletrônica: a Combinação de Democrático com Eficiente!

A segurança eletrônica é uma forte aliada da segurança patrimonial e, comprovadamente, contribui diretamente para redução de ocorrências contra a propriedade nas esferas pública e privada.

Investir nessa tecnologia tem sido essencial em empreendimentos e residências que buscam prevenir incidentes e aumentar a proteção dos seus usuários, isso porque o problema da criminalidade no Brasil é, infelizmente, recorrente.

O que é segurança eletrônica?

A segurança eletrônica é a combinação de equipamentos e sistemas, monitorados por profissionais capacitados, que tem por objetivo inibir, detectar, alarmar, monitorar e proteger bens, propriedades ou pessoas.

O mais popular e tradicional sistema de vigilância eletrônica, é o CFTV (Circuito Fechado de Televisão), que consiste no uso de câmeras para capturar e exibir imagens de circuitos internos em um monitor.

Hoje em dia, equipamentos e sistemas foram modernizados, o principal avanço é que o sistema foi digitalizado e integrado, garantindo maior segurança e confiabilidade.

Continue lendo e conheça todas as opções que englobam a segurança eletrônica e entenda dela é mais adequada para a sua necessidade.

Qual são os objetivos da segurança eletrônica?

O propósito da segurança eletrônica é: evitar ocorrências através da dissuasão, identificar imediatamente o princípio de alguma situação indesejada e avisar remotamente acontecimentos fora do previsto.

Em resumo, o seu principal objetivo é detectar e inibir ameaças.

Como funciona um sistema de segurança eletrônica?

Um sistema de segurança eletrônica atua principalmente de modo a desestimular a ação de criminosos.

Pessoas mal intencionadas preferem, normalmente, lugares desprotegidos para cometer crimes. Ao identificar locais com estrutura de segurança eletrônica ou humana, tendem a avaliar os prós e contras e na maioria das vezes desistem do ato.

Isso, por exemplo, está sendo percebido na cidade de Passo Fundo no Rio Grande do Sul. Segundo os dados da Brigada Militar, o índice de roubos a pedestre, estabelecimentos comerciais, residências e veículos no primeiro semestre de 2020 diminuiu 18,37% quando comparado ao mesmo período do ano passado. O furto de veículos, ocorrência que sempre esteve em evidência no município diminuiu 42,92%.

As principais tecnologias de segurança eletrônica

Dentre os diversos dispositivos que compõem o campo da segurança eletrônica, podemos destacar câmeras (circuitos fechados de televisão), Controle de Acesso e alarmes.

Entretanto, temos outras funções que têm sido amplamente utilizadas na indústria, como monitoramento remoto e a vigilância por vídeo.

Além disso, a tecnologia tem crescido o uso da tecnologia para controle de processos e prevenções de perdas.

Conheça a seguir as principais tecnologias utilizadas e como elas funcionam:

CFTV

Nós já mencionamos esse sistema anteriormente, o CFTV é o circuito fechado de televisão.

Através dessa tecnologia é possível monitorar ambientes em tempo real.

Esse sistema é composto por câmeras Analógicas ou IP (um modelo de câmera de vídeo digital que recebe e envia dados por uma rede IP) e a vigilância pode ser feita até mesmo por dispositivos móveis. Sua principal diferença é que nas câmeras IP´s podemos integrar tecnologia analítica para aumentar a acuracidade de informações.

Além disso, os registros ficam gravados e podem ser acessados posteriormente.

Câmeras

Quando falamos em sistema segurança eletrônica as câmeras são o primeiro exemplo que vem à mente. Isso porque elas são amplamente utilizadas e possuem diferentes modelos que atendem a todas as necessidades.

São vários os recursos tecnológicos que compõe uma câmera, infravermelho, tipo de lente, pan&tilt, câmeras térmicas, que emitem ondas de calor e por esse motivo permitem uma maior identificação de pessoas.

De acordo com um estudo feito com 422 assaltantes encarcerados, as câmeras de segurança são um dos equipamentos mais eficazes no impedimento de roubos.

Isso porque 60% dos entrevistados relataram que escolheriam outro local para assaltar caso soubessem com antecedência que possuía câmeras de segurança.

Além disso, 50% dos assaltantes relataram que descobrir câmeras faria com que eles abortassem o roubo.

Ou seja, segundo essa pesquisa ao implementar esse sistema você está reduzindo em até 50% as chances de um assalto.

Controle de acesso

Esse sistema de segurança eletrônica permite que apenas pessoas autorizadas entrem e saiam dos locais.

Essa tecnologia pode ser utilizada através de cartões de proximidade, senhas ou por meio de biometria, todos previamente cadastrados.

Sistemas modernos, inclusive, fazem a liberação por identificação facial e leitura de íris, entre outros.

Esse sistema além de aumentar a segurança permite que seja feito um controle estatístico de tráfego.

Sistemas de alarme

Os sistemas de alarme são bastante utilizados pois são opções bem completas em termos de segurança. Ele é composto por painéis, sensores, sirenes e até mesmo botão de pânico.

Os sensores presentes nesse sistema detectam a presença de pessoas indesejadas ou qualquer outro tipo de violação, alguns são tão sensíveis que disparam até mesmo com a movimentação de insetos e roedores.

Os principais tipos de sensores são:

  • Sensores de presença: Identificam a presença de indivíduos ou objetos sobre o local vigiado.
  • Sensores de vibração: Detectam sinais de vibração
  • Sensores de impacto: Capazes de detectar choques e batidas
  • Sensores de temperatura: Destinados a captar mudanças de temperatura
  • Sensores de abertura: Identificam quando locais ou objetos monitorados são abertos por pessoas não autorizadas.
  • Sensores de detecção de químicos: São capazes de detectar a presença de químicos como gazes e fumaça no ambiente.

Sistemas de bloqueio

Esse sistema de segurança eletrônica funciona através de barreiras físicas como portões, cancelas, portas catracas e outros, o principal objetivo é impedir o acesso de pessoas não autorizadas em alguns ambientes.

Portaria remota

 Uma novidade recente que moderniza e automatiza o sistema de portaria, integrando o sistema de comunicação, controle de acesso, monitoramento e vigilância de prédios comerciais e residenciais, permitindo a redução de custo em até 60%.

Principais benefícios da segurança eletrônica

  1. Economia com recursos humanos: um sistema de segurança eletrônica bem projetado permite o aumento da eficiência por meio tecnologia e redução dos contratação de profissionais.
  2. Vigilância permanente: O sistema de vigilância é automático e funciona 24 horas por dia, protegendo o que você precisar, mesmo quando você não estiver por perto.
  3. Alertas em tempo real: Caso alguma situação anormal seja detectada o sistema envia alertas em tempo real para onde você estipular, dessa forma você pode tomar medidas de contenção rapidamente.
  4. Sistemas integrados: É possível utilizar diferentes tecnologias de segurança ao mesmo tempo para garantir maior proteção, dificultando ainda mais a ação de criminosos.
  5. Sistemas versáteis: Os sistemas de segurança eletrônica são democráticos e eficientes, e podem atender desde projetos básicos como vigilância de uma residência, quando manter o controle de fluxo de pessoas, monitoramento de ocorrências, alarmes e acesso em grandes empreendimentos.
  6. Controla o acesso: facilita o controle e possibilita a emissão de relatórios de acordo com a necessidade de cada estabelecimento.

O que saber antes de contratar serviço de segurança eletrônica

Antes de contratar um serviço de segurança eletrônica é preciso uma análise de risco, geralmente, executado pela prestadora de serviço contratada, para identificar quais são as necessidades do contratante.

Ainda é preciso avaliar se a companhia contratada possui um bom serviço de suporte e manutenção dos equipamentos, dê preferência para aquelas que disponibilizam também revisão preventiva.

Além disso, no nosso país, as empresas de segurança devem cumprir a Lei nº 7.102 / 83.

Para verificar se um estabelecimento está formalizado você pode verificar junto a Polícia Federal e com ABESE – Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança.

Onde o serviço de segurança eletrônica é recomendado

O serviço de segurança eletrônica é recomendado para qualquer local, privado ou público, que deseje aumentar a proteção e prevenir ações criminosas como furtos e roubos. Veja a seguir alguns exemplos:

  • Condomínios empresariais ou residenciais
  • Escolas
  • Hospitais
  • Hotéis
  • Qualquer estabelecimento como restaurantes e cafeterias
  • Empreendimentos comerciais
  • Indústrias
  • Aeroportos
  • Residências
  • Órgãos públicos

Ainda ficou com alguma dúvida sobre segurança eletrônica? Tem alguma pergunta que gostaria de fazer? Clique aqui e mande a sua dúvida ou sua solicitação de informação que em breve responderemos.