É possível reduzir a taxa de condomínio?

É raro o condomínio em que o síndico não tem reclamação da taxa de condomínio. Mas, com o advento da pandemia e a quarentena, muitas famílias tiveram redução nas rendas e, por isso, cresceu o número de pessoas questionando os valores da taxa condominial.

Embora desejada pela maioria dos condôminos a redução da taxa de condomínio não é uma questão tão simples. Porém algumas mudanças simples e outras tecnológicas podem contribuir para esta diminuição de valores.

O que é taxa de condomínio e como é composta?

A taxa é decorrente das despesas necessárias para a manutenção do bom funcionamento do condomínio que inclui custeio dos funcionários, consumo como água e luz, manutenção e gestão, entre outros. Esta é a taxa de condomínio ordinária paga mensalmente pelos condôminos.

Existe ainda a taxa de condomínio extraordinária, decorrente geralmente de obras de melhorias para o empreendimento. Porém, esta taxa é cobrada por tempo determinado depois da aprovação em assembleia.

É possível reduzir o custo do condomínio?

Há algumas boas práticas adotadas pela maioria dos condomínios que contribuem para a redução dos custos do condomínio. Entre elas estão:

Funcionários: O custo com o pessoal representa cerca de 60% dos custos de condomínios. Então, neste ponto, deve ser concentrada a maior atenção. Nesse sentido é importante evitar ao máximo que eles façam horas extras, assim como acumulem funções.

É relevante que seja analisada a possibilidade de troca de funcionários orgânicos por empresas terceirizadas, já que além da reposição de profissionais em caso de falta, o condomínio deixa de se preocupar com verbas rescisórias e passivo judicial, entre outros benefícios (mas, para a tranquilidade, é preciso estar atento a idoneidade da empresa contratada).

 Manutenção: Neste quesito a principal regra para a economia é a prevenção. Normalmente, gasta-se menos com manutenção preventiva do que com a emergencial (além dos desgastes gerados com os condôminos).

Outro ponto a ser analisado é o tempo de uso dos equipamentos. Elevadores muito antigos, por exemplo, quebram e gastam mais energia do que os modelos mais novos. Além disso, os modernos ajudam a valorizar o patrimônio de todos.

No menor sinal de anormalidade de um equipamento é importante que a empresa de manutenção responsável seja chamada para a verificação, esperar quebrar geralmente resulta em custo maior.

Equipamentos como piscina e gerador devem ter manutenção contínua, mesmo nos períodos em que não estão sendo usados com frequência.

O consumo de energia pode ser reduzido com o uso de lâmpadas econômicas e com sensores de presença. Além de estabelecimento de horário para funcionamento de algumas áreas comuns como quadras, playgrounds etc.

O consumo de água deve ser acompanhado diariamente, facilitando assim, a identificação de aumento expressivo, bem como é recomendada a inspeção semestral, visando identificar vazamentos.

Em condomínios nos quais os hidrômetros não são individuais, é preciso realizar com constância campanhas para conscientização dos condôminos, além de revisar os processos de limpeza da área comum para evitar desperdício.

Manter fornecedores é benéfico para o condomínio, mas isso, preservando o custo adequado. A revisão do contrato e do custo do mercado é importante. Porém, é válido ressaltar, que o menor preço quase sempre não é sinal de qualidade, tão importante quanto o fator custo é a qualidade e idoneidade. 

Modernidades que geram economia

Algumas novas soluções tecnológicas além de contribuir para o meio ambiente ajudam a reduzir o custo.

O reuso de água é uma solução ecológica e que pode trazer muitos benefícios para o condomínio, sendo o principal deles a redução do custo de consumo.

Uma nova tendência que começa a ser adotada por alguns condomínios é a do uso da energia solar.  Com o avanço da tecnologia, os custos dos equipamentos estão barateando e mediante a economia gerada pode ser uma opção vantajosa.

Entre as novidades que mais ganhou adeptos entre os condomínios está a Portaria Remota. O sistema é mais simples de ser viabilizado e traz melhorias significativas para os processos de segurança, além de reduzir em até 50% o custo do condomínio.

A novidade começou ser usada inicialmente para condomínios pequenos, mas a solução pode ser também aplicada em condomínios com mais de uma portaria, ou ainda no sistema híbrido quando nos períodos de maior fluxo o atendimento é realizado de modo convencional e nos com redução de tráfego pelo sistema de portaria digital.

Quer entender melhor como funciona o sistema de portaria remota, também conhecida como portaria digital? Clique aqui.